A cirurgia plástica é hoje uma especialidade ampla, com várias áreas de atuação. Com o objetivo primordial de melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Existe como especialidade há aproximadamente 50 anos, mas há duas décadas teve um grande desenvolvimento. Não devemos segmenta-la em estética e reparadora, pois na restauração da função deve haver estética, e na busca da beleza e da juventude deve ser preservada a função. São feitos procedimentos cirúrgicos em deformidades congênitas, como fissuras lábio-palatinas, orelhas proeminentes e nariz inestéticos; ou em deformidades adquiridas por traumas, queimaduras, ou neoplasias. Também são reparadas as alterações decorrentes da obesidade e do envelhecimento cutâneo.

Áreas de atuação: Microcirurgia, Queimados, Cirurgia Oncológica Reparadora, Cirurgia da Mão, Cirurgia Crânio-Maxilo-facial.

1. O tratamento das queimaduras, causadas por agentes térmicos, químicos, elétricos ou por radiação. A reabilitação total do paciente deve ser considerada o objetivo final do tratamento, e assim, a correção das seqüelas deve ser parte essencial da atuação.

2. A cirurgia plástica reconstrutiva em pacientes portadores de neoplasias, que foi desenvolvida após a introdução das técnicas de microcirurgia no anos 70, e tem sido essencial para a melhoria do tratamento dos tumores da cabeça e pescoço propiciando ressecções mais ampliadas e melhor qualidade de vida para os pacientes. A associação do cirurgião plástico com a ginecologia para o tratamento global do câncer da mama é hoje também universalmente aceita como a melhor solução para o grave problema desses pacientes. A cirurgia plástica trata também diferentes tumorações cutâneas e subcutâneas sejam malignas ou benignas, assim como, hemangiomas e outras mal-formações vasculares.

3. A cirurgia crânio-maxilo-facial foi desenvolvida nos últimos vinte anos, e se ocupa do tratamento de deformidades de partes moles e esqueléticas da face e do crânio que tem repercussões estéticas e funcionais na vida de relacionamento. Foram particularmente notáveis os avanços na correção de problemas craniofaciais congênitos complexos(crânio-estenoses e outros), na correção de fissuras labio-palatinas, assim como de defeitos craniofaciais adquiridos na mandíbula, na maxila e na articulação temporo-mandibular (cirurgia ortognática). A atuação da cirurgia plástica nos traumatizados da face, é fundamental nos grandes centros urbanos em razão da freqüência de acidentes no trânsito e no trabalho. A tecnologia mais moderna possibilita melhores resultados no atendimento às fraturas da face graças ao tratamento mais precoce e reabilitação maxilo-facial mais completa.

4. A Cirurgia Plástica atua em todas as áreas da cirurgia da mão onde incorporou técnicas de microcirurgia e apresenta, atualmente, resultados mais confiáveis, sobretudo quando trata de traumas graves do membro superior, nos reimplantes de dedos e mão, nas reparações de nervos e tendões, nas fraturas da mão e nas deformidades da mão em crianças, entre outros.

5. A reconstrução das partes moles nos membros inferiores deve ser feita em conjunto com tratamento ósseo ortopédico usando especialmente técnicas microcirúrgicas que transformaram o prognóstico dessas graves lesões e evitando-se, muitas vezes, as amputações.

6. A cirurgia plástica participa ativamente de equipes multidisciplinares que tratam de deformidades congênitas no tronco e nos genitais, incluídos os casos de intersexo. É importante, também, sua contribuição para a reconstrução de genitais lesados por trauma (amputação do pênis) ou na síndrome de Fournier.

7. As cirurgias para correção das deformidades decorrentes do aumento de peso e do envelhecimento cutâneo, constituem outra área importante da cirurgia plástica. Estas cirurgias tem o caráter reparador, no que diz respeito ao estado psicológico do paciente, pois melhoram a qualidade de vida, restabelecendo a auto-estima, com uma melhoria da auto-imagem. Estas são as mais realizadas.